Lyuba, filhote de Mamute de 40 mil anos

Mamute de 40 mil anos é exposto em Hong Kong
Por Vanessa Daraya

O filhote de mamute Lyuba é um fóssil de 40 mil anos será exposto em Hong Kong a partir 12 de abril.  Lyuba era um mamute do sexo feminino e morreu com apenas um mês  na Sibéria. Ela foi encontrado  por um pastor de renas em 2007.

O mamute foi extinto há 10 mil anos e tem grande importância para a ciência.  Os cientistas russos e sul-coreanos fizeram um acordo para conseguir clonar o animal a partir de sua carcaça.

veja mais

DARAYA, Vanessa. Mamute de 40 mil anos é exposto em Hong Kong. Info Online. Notícias. Ciência. 11 abr. 2012

Indicações de leitura

São Paulo: de vila a metrópole – v.1
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

Os primeiros registros fotográficos de São Paulo já têm 150 anos — são da década de 1860, quando a vila era capital da província e reunia 30 mil habitantes. Este volume da Coleção Folha apresenta algumas dessas imagens e, a partir daí, registros que mostram como a riqueza gerada, primeiro, pela cafeicultura, e, depois, pela indústria, vai diversificando a paisagem urbana e social ao longo do tempo.

A Coleção Folha apresenta, em 20 livros temáticos, uma seleção de belíssimas imagens registradas desde a chegada da técnica fotográficas ao país, em 1840, até a inauguração de Brasília, em 1960.
Comércio:  do mascate ao mercado – v.2
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

As primeiras imagens deste volume são do tempo do Império e mostram o comércio informal dos ambulantes. Há também inúmeros registros de feiras e mercados em diversas épocas e cidades do país, até finalmente chegar às fotos de vitrines, cafés e lojas de rua, em meados do século 20. É curioso observar como alguns serviços, como o do amolador ou o do sapateiro, pouco mudaram com o passar dos anos. O mesmo se nota nas feiras, locais de grande concentração de pessoas e de fartura de hortifrutigranjeiros e pescados.
O povo brasileiro: retratos de todos nós – v.3
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

Neste terceiro volume estão reunidas imagens que registram a diversidade étnica do nosso povo — somos uma gente mestiça e essa é nossa marca distintiva. Os primeiros registros são do final do século 19 e início do século 20, e mostram os “ingredientes” da mestiçagem: indígenas, negros e brancos europeus. Os retratos feitos em estúdio são claramente antropológicos. Nos grupos familiares ou em trabalho ao ar livre, é a hierarquia entre os integrantes que se destaca.
O Brasil rural:  a ocupação do território- v.4
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

As fotos deste volume documentam o ambiente rural a partir da segunda metade do século 19. Os primeiros registros, de 1870, mostram escravos na extração de ouro e de diamantes. Na virada para o século 20, as fotografias passam a incluir caminhões, tratores e trens. No segundo conjunto de imagens, moradias rurais: casas de sitiantes contrastam com alojamentos para colonos. Desses dois mundos, sítios e fazendas, também foram selecionadas fotos poéticas de momentos do dia a dia: o trajeto para o trabalho, as crianças brincando e o descanso sob uma árvore.

Crenças e templos: devoção e fé – v.5
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

País predominantemente católico e influenciado por religiões de origem africana, o Brasil é sincretista por excelência. Entre a primeira missa cristã, em 1500, e o último despacho do candomblé, o caldeirão brasileiro de crenças vem produzindo um caldo espiritual único.  A essas fés, tão excludentes quanto complementares, somam-se várias outras.

Crenças e templos reúnem imagens de procissões cristãs e de rituais afro-brasileiros, assim como de cerimônias do judaísmo, religião presente no país desde 1641, quando foi inaugurada a primeira sinagoga. No século 20, as imigrações ampliaram o leque de cultos, como mostram, por exemplo, as fotos de serenos rituais budistas.
Festas populares: uma celebração de sons e movimentos – v.6
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

Quando o assunto é festa popular no Brasil, logo se pensa em Carnaval. A folia, derivada de uma brincadeira portuguesa de rua chamada entrudo, só ganharia a forma atual com a valorização das escolas de samba a partir de meados do século 20.

Festas populares traz imagens da tradicional festa do bumba meu boi, do carnaval, da congada, do maracatu e cenas diversas retratando a paixão nacional pelo espetáculo do futebol.
Imigrantes: esperança em terra nova – v.7
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

O Brasil é um país de imigrantes. Os primeiros estrangeiros a chegar, os portugueses, nos legaram a língua e os costumes. Mais tarde, na segunda metade do século 19, outros europeus deixaram seus países de origem com destino ao Brasil: espanhóis, italianos, alemães, a maioria atraída pelo trabalho proporcionado pelo café, que necessitava de trabalhadores para substituir a mão de obra escrava. No século 20, foi a vez de os japoneses desembarcarem aqui.

Imigrantes retrata a chegada e o processo de adaptação de todos esses povos, e ajuda a lembrar que a história dos imigrantes foi uma via de mão dupla: eles vieram para “fazer a América” – e ajudaram a fazer um país.

Guerras e batalhas: o país em luta – v.8
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil
O brasileiro pode ter índole pacífica, mas isso não o impediu de, ao longo de sua história, travar confrontos. O mais importante deles foi a Guerra do Paraguai (1864-1870). Mal instalada a República, em 1889, o país logo assistiria à eclosão de revoltas, entre elas a Campanha de Canudos (1896-1897).

Guerras e batalhas reproduz as imagens desses e de outros conflitos, como a Revolta da Vacina (1904), a Revolta da Chibata (1911) e as revoltas tenentistas dos anos 1920, além de registros da participação do país na Segunda Guerra Mundial (1945-1949).
As cidades: o nascimento dos cartões postais – v.9
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

As cidades mostra a pluralidade do país também nas vistas de suas cidades. As que mais projetam nossa imagem no exterior são tão diferentes entre si que dão ao visitante a sensação de viajar por um continente de muitas culturas.  O Rio de Janeiro do Cristo Redentor, o monumento arquitetônico barroco de Ouro Preto, a Salvador das 365 mitológicas igrejas – difícil saber qual delas melhor representa o Brasil.
A Indústria: fábricas de chaminés de barro – v.10
Autor: Oscar Pilagallo
Editora: Folha de São Paulo
Coleção Folha fotos antigas do Brasil

A industrialização brasileira é um fenômeno tardio. Depois de iniciativas isoladas no Império, foi só no século 20 que, timidamente, as chaminés começaram a substituir os arados. O processo coincide com a imigração, e não por acaso o ícone dos primórdios da indústria no país tem nome de imigrante: Francesco Matarazzo.  Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a queda no consumo de café liberou mão de obra da lavoura para a indústria, enquanto a dificuldade de importação aumentava a demanda por artigos nacionais. Na Segunda Guerra (1939-1945), a industrialização tomou fôlego. Nesse contexto, é emblemático o registro da visita do presidente Juscelino Kubitschek a uma fábrica de automóveis nos anos 1950, assim como as imagens relacionadas à exploração de petróleo.

Jogos Vorazes – 1
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
ISBN 978-85-7980-024-5
Trilogia Jogos Vorazes v.1

Katniss escuta os tiros de canhão enquanto raspa o sangue do garoto do distrito 9.

Na abertura dos Jogos Vorazes, a organização não recolhe os corpos dos combatentes caídos e dá tiros de canhão até o final. Cada tiro, um morto. Onze tiros no primeiro dia. Treze jovens restaram, entre eles, Katniss. Para quem os tiros de canhão serão no dia seguinte?…

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte!

Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre.
Em chamas – 2
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
ISBN 978-85-7980-064-1
Trilogia Jogos Vorazes v.2

Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado.

A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.

Esperança – 3
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
ISBN 978-85-7980-086-3
Trilogia Jogos Vorazes v.3

Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução.
A coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo.
O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra?
Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.