Indicações de leitura

01 - HandsArtists’ Handbook
Editora: Ludion
ISBN 978-90-5544-719-0

Artists’ Handbook apresenta mais de 300 desenhos, gravuras, colagens e fotografias das mãos de artistas organizadas em ordem alfabética e cronológica, e  biografias curtas. 

 

 

02 - LE TOURISMOLe tourisme: lectures géographiques
Autor: Philippe Duhamel
Editora: Documentation Française
ISSN : 0419-5361

À l’echelle mondiale, le tourisme est désormais une activité pratiquée (presque) partout et (presque) par tous. En faire la géographie, étudier en quoi cette mobilité participe à l’écriture du monde, s’impose donc.

Dans ce dossier, Philippe Duhamel montre l’importance du poids économique de ce secteur. Poutant, il ne s’agit là que d’un elément de réflexion.

Ici sont avant tout étudiés les acteurs (des touristes eux-mêmes aux opérateurs industriels) et leurs pratiques. Ici, on a tenté de dresser un panorama des lieux touristiques et des enjeux que les traversent, afin de proposer de nouvelles lectures géographiques de ces phénomènes.

Car la transtion touristique est en marche : de nouvelles génerations accèdent au tourisme,  de nouvelles populations en bénéficient. Les pratiques se diversifient et le nombre actuel de touristes nous semblera sans doute  bientôt anecdotique. Le monde touristique n’en a pas fini de nous étonner!

03 - Vik MunizVik Muniz: obra incompleta = Vik Muniz: incomplete works
Autor: Vik Muniz
Editora: Fundação Biblioteca Nacional
ISBN 85-333-0278-9

Este é o primeiro livro ilustrado publicado no Brasil dedicado à obra de Vik Muniz e apresenta uma retrospectiva da sua carreira, talvez a mais bem sucedida de um artista contemporâneo brasileiro no exterior.

 

04 - Marcello GrassmannMarcello Grassmann
Editora: SESI-SP
ISBN 978-85-65025-46-1

As gravuras e os desenhos de Marcello Grassmann aqui apresentados provocaram o leitor e a crítica ao longo dos anos. Este livro motiva um olhar sobre a obra de Grassmann, por meio de uma minuciosa seleção de artigos de jornais, revistas e catálogos, em que é possível ter uma visão geral sobre a recepção dessa obra, desde o decênio de 1950 até hoje.
  

05 - Palavras de ProfessoresPalavras de professores: relatos e ensaios sobre a educação no Colégio Santa Cruz
Editora: Colégio Santa Cruz

Iniciada em 2012, ano do nosso 60.o aniversário, a publicação nasceu do convite, endereçado a todos os educadores da escola, para produzir pequenos ensaios relatando suas experiências pedagógicas, suas atividades cotidianas e suas reflexões sobre educação e aprendizagem.

Recebemos 60 artigos, um para cada ano de vida de nossa escola, dos mais diversos setores de nossa atuação: Educação Infantil, Ensino Fundamental 1 e 2, Ensino Médio e Cursos Noturnos; professores generalistas ou especialistas das mais variadas áreas do conhecimento. Os seis capítulos que compõem a obra delimitam os textos considerando os temas e gêneros que os aproximam e distinguem.

Computação em nuvem

Citação

Revista USP - Computação em NuvemA computação em nuvem é uma tendência observada após a internet, a partir de 1995, deixar de ser exclusivamente acadêmica e passar a ser explorada comercialmente por empresas em escala global. A internet foi incorporada ao nosso cotidiano rapidamente e no ano de 2012, 2,5 bilhões de pessoas já se encontravam conectados à rede. Essa expansão foi acompanhada por uma intensa atividade de inovação comercial e tecnológica, como a microeletrônica e a virtualização. A computação na nuvem surge como um mecanismo para uso intensivo de recursos computacionais, e o acesso à “nuvem” passa a ser realizado por dispositivos móveis e portáteis a partir de qualquer lugar do planeta.

Fonte: ZUFFO, Marcelo Körich et al. A computação em nuvem na Universidade de São Paulo. Revista USP, São Paulo, n. 97, p. 10-18 mar./abr./maio 2013.

O futuro da Internet (e do mundo) segundo o Google

Internet

por Anna Carolina Rodrigues

Eric Schmidt, presidente do conselho administrativo do Google, e Jared Cohen, diretor de ideias da empresa, escreveram um livro sobre o futuro da Internet e fazem previsões surpreendentes e nem sempre otimistas.

1. O passado vai nos condenar.
Uma das mudanças esperada refere-se a nossa reputação online, para tanto devem surgir empresas especializadas para controlar ou eliminar informações de que não gostamos, e empresas de seguro virtual, para nos proteger contra roubo de identidade virtual e difamação na Internet.

2. Haverá um ataque terrorista envolvendo a Internet
O livro do Google fala no surgimento do Code War, um conflito que envolveria vários países atacando as redes de computadores uns dos outros.

3. O governo vai migrar para WEB
A migração do governo para a Internet poderia permitir um atendimento mais eficiente dos serviços públicos para a população.

4. A rede vai se fragmentar
A Internet foi criada no final dos anos 60 e por definição é uma união de pequenas redes. Hoje, alguns países estão criando suas próprias regras e na opinião da Google, isto acabará resultado em Internet nacionais.

Lei mais na Revista Super, jun. 2013.

Fonte: RODRIGUES, Anna Carolina. O futuro da Internet (e do mundo) segundo o Google. Superinteressante, São Paulo, ano 26, n. 7, jun. 2013, p. 40-41 58-59.-

De onde vêm os sobrenomes

Com o aumento da população  foi necessário criar mais distinções para identificar as pessoas, assim surgiram os sobrenomes.

Mundo_estranhoPor volta de 2850 A.C. os sobrenomes passaram a ser usados na China. O Império Fushi obrigou os chineses a ter três nomes: um próprio, um da família e um terceiro extraído de um poema. 

Em 500 A.C. o hábito foi dotado primeiro pelo Império Romano. Eles usavam três nomes: o praenomen (nomes próprio), o nomen (que designava o clã ao qual pertenciam) e o cognomen (nome da família). Com a decadência do império uso dos sobrenomes ceiu em desuso. 

Durante a Idade Média, mais ou menos em 1000 D.C. , o crescimento demográfico trouxe de volta os sobrenomes na Europa. Foram usados primeiro por nobres e senhores feudais, e depois por comerciantes e plebeus. 

No Brasil, 1500 D.C., os sobrenomes chegaram com os colonizadores e os mais comuns são: Silva, Santos, Oliveira, Souza e Sousa, Lima e Pereira.

Leia mais na revista Mundo Estranho. 

Fonte: VASCONCELOS, Yuri. De onde vêm os sobrenomes. Mundo Estranho, São Paulo, ano 13, n.06, jun. 2013, p. 28-32.-