A história do Natal

O Natal é tão antigo quanto a civilização.

natal

Fonte: Super Interessante / História

A história do Natal começa a cerda de 7 mil anos antes do nascimento de Jesus e tem um motivo bem prático: celebrar o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte, que acontece no final de dezembro.  É o ponto de virada das trevas para luz: o “renascimento” do Sol. Na Mesopotâmia, a celebração durava 12 dias. Já os gregos aproveitavam o solstício para cultuar Dionísio, o deus do vinho e da vida mansa, enquanto os egípcios relembravam a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos. Na China, as homenagens eram para o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza. Até povos antigos da Grã-Bretanha, mais primitivos que seus contemporâneos do Oriente, comemoravam em volta de Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano.

Em  Roma, século 2, no dia 25 de dezembro, a população homenageia o nascimento do deus persa Mitra, que representa a luz e, ao longo do século 2, tornou-se uma das divindades mais respeitadas entre os romanos. O culto a Mitra chegou à Europa lá pelo século 4 a.C., quando Alexandre, o Grande, conquistou o Oriente Médio. Centenas de anos depois, soldados romanos viraram devotos da divindade. E ela foi parar no centro do Império.

Os fiéis de Roma queriam fazer comemorações no solstício e era de interesse da dos chefes da Igreja marcar uma celebração cristã nessa época. Em 221 d.C., o historiador cristão Sextus Julius Africanus definiu o aniversário de Jesus no dia 25 de dezembro, nascimento de Mitra. A Igreja aceitou a proposta e, a partir do século 4, quando o cristianismo virou a religião oficial do Império, o Festival do Sol Invicto começou a mudar de homenageado.

Leia artigo completo no site e a história do Papai Noel

Fonte: VERSIGNASSI, Alexandre. MINAMI, Thiago. A verdadeira história do Natal. Super Interessante, São Paulo, 31 out. 2016. Disponível em: <http://super.abril.com.br/historia/a-verdadeira-historia-do-natal/>. Acesso em 12 nov. 2016.

Dia Nacional do Livro Infantil

CacadaspedroDia 18 de abril é o Dia Nacional do Livro Infantil.

O dia foi criado em 2002, data de nascimento de Monteiro Lobado, 18 de abril de 1882, um dos mais importantes escritores brasileiros, autor de histórias marcantes da literatura infantojuvenil como o Sitio do Pica-pau Amarelo e seus personagens: Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho e Emília.

A origem do Halloween

Halloween

Fonte: revista Mundo estranho, out. 2015. Ilustração de Luís Dourado.

por Danilo Cezar Cabral

O fim da colheita e o início do inverno deixavam os povos antigos com medo da morte e de que alguém abandonasse a comunidade. Por volta de 3000
a.C., o temor deu início  à celebração entre a fase da  luz (verão) e a das trevas (inverno). A data equivalia ao atual 31 de outubro. Nesse dia, acreditava-se que o além se tornava mais acessível.Quando conquistaram os territórios celtas, provavelmente nos séculos 5 e 6, os romanos se apropriaram da data e a transformaram em sua própria celebração dos mortos, a Lamuria. Ante, ela ocorria em 13 de maio, mas foi transferida para 31 de outubro. Os romanos colocavam alimento e leite nos túmulos para apaziguar a vontade dos mortos de retornar. 

Reportagem completa na revista Mundo estranho, n.172, out. 2015.

Fonte: CABRAL, Danilo Cezar. Qual a origem do Halloween? Mundo estranho, São Paulo, Abril, n. 172,  out. 2015, p. 40 – 41, P&R.

Dia Internacional do Livro Infantil

Ilustriação: Claudia Scatamacchia. in: ANDERSEN, Hans. C. O patinho feio. São Paulo: Lastri, 1986.

Fonte: ANDERSEN, Hans. C. O patinho feio. ilustrações de Claudia Scatamacchia. São Paulo: Lastri, 1986, il.

2 de abril é o Dia Internacional do Livro Infantil em homenagem ao escritor Hans Christian Andersen, considerado o pai da literatura infantil.

Andersen nasceu em Odense, na Dinamarca, no dia 2 de abril de 1805 e faleceu no dia 4 de agosto de 1875, em Copenhague, capital dinamarquesa. Era filho de um sapateiro e de uma lavadeira e suas obras refletem muito do seu sofrimento. Exploram a falta de amor, a rejeição e a falta de carinho. Escreveu poemas, peças, romances e 168 contos infantis de excelente qualidade, entre seus contos seus contos destacam-se  “Polegarina”, “O Isqueiro Mágico”, “A Velha Casa”, “A Sereiazinha”, “O Patinho Feio”, “A Princesa e o Grão de Ervilha”, “O Rouxinal do Imperador”, “A Pequena Vendedora de Fósforo”, “A Roupa Nova do Imperador”.

Fonte: Biblioteca Hans Christian Andersen – Temática em Contos de Fadas.
Inaugurada em 9 de julho de 1952 como Biblioteca Infantil do Tatuapé e passou a denominar-se Biblioteca Infanto-Juvenil Hans Christian Andersen em homenagem ao escritor dinamarquês conhecido mundialmente. Em novembro de 2007 tornou-se temática em Contos de Fadas.
Localização: Av. Celso Garcia, 4142, Tatuapé – 03064-000 , São Paulo, SP
Tel.: 11 2295-3447
Horário: 2ª a 6ª feira das 10h às 19h e sábado das 9h às 16h.

2015 Ano do Carneiro

yangO Ano do Carneiro inicia-se em 19 de fevereiro e termina em 07 de fevereiro de 2016.

O carneiro é o oitavo signo do horóscopo chines e o número “8” é considerado um número de sorte, porque simboliza sabedoria, fortuna e prosperidade. Ele é o símbolo das artes marcando um ano produtivo no campo artístico ou estético, e de muita criatividade.

Dia Nacional do Livro

Fonte:  Biblioteca Nacional: a história de uma coleção. p.63.

Fonte: Biblioteca Nacional: a história de uma coleção. p.63.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje é comemorado o Dia Nacional do Livro, em homenagem a fundação da Biblioteca Nacional em 29 de outubro de 1810, pela Coroa Portuguesa. Neste período D. João VI trouxe para milhares de peças da Real Biblioteca Portuguesa.

O Brasil começou a editar seus livros em 1808, com a fundação Imprensa Régia. O primeiro livro a ser editado foi Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga.

Dia Nacional da Literatura Infantil

Citação

 O dia 18 de abril foi instituído como o Dia Nacional da Literatura Infantil em homenagem a Monteiro Lobato.

Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil brasileira. Nascido em Taubaté, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.

O homem que inventou o dia das crianças

O empresário paulista Mário Adler não é nenhum Barão de Mauá, é verdade. Mas não seria um absurdo, caso de repente estátuas com a sua figura começassem a pipocar no saguão das sedes de federações industriais, associações comerciais, clubes de diretores lojistas e shopping centers espalhados pelo País. Explica–se: Adler, 73 anos, ex-controlador da Brinquedos Estrela, é simplesmente o criador do Dia das Crianças, uma das mais importantes datas para as vendas do varejo brasileiro, comemorado a cada 12 de outubro.

No caso da indústria de brinquedos, o peso da criação de Adler é ainda mais decisivo: nada menos de 40% ou R$ 1 bilhão dos R$ 2,5 bilhões faturados pelas 440 fabricantes do setor em 2009 foram obtidos nessa data. “Acreditávamos que seria uma ação de marketing interessante para incrementar o negócio, mas não tínhamos a menor noção da importância que iria adquirir com o tempo”, diz Adler.

De acordo com Adler, a ideia inicial era reduzir a dependência em relação ao Natal. Ele cogitou, inclusive, comemorar o Dia da Criança no primeiro semestre, alterando, com isso, a sazonalidade do setor, extremamente dependente da segunda metade do ano. Isso não foi adiante, pois já existia uma lei, do tempo do presidente Arthur Bernardes, oficializando o 12 de outubro como o dia dos pequenos( que nunca pegou, diga-se).

Embrião. A iniciativa começou a ser gestada na metade dos anos 1960 pela Estrela, à época a maior fabricante de brinquedos nacional. Antes dela, a Johnson & Johnson tivera uma ideia semelhante, propondo a criação do dia do bebê robusto, para estimular as vendas de suas fraldas descartáveis. “Mas acabou não decolando e eles desistiram”, diz Adler, que resolveu encampar a proposta. Não foi fácil.

No primeiro ano, apesar de seus esforços para convencer os grandes varejistas de São Paulo, como Americanas e os falecidos Mesbla e Mappin, a participar e compartilhar os gastos de uma campanha institucional conjunta, a Estrela teve de bancar todas as despesas. “A turma não acreditava muito que pudesse dar certo e resolveu esperar para ver o que acontecia”, lembra Adler. Com os bons resultados obtidos pela campanha solo, as resistências acabaram sendo vencidas. “Depois a coisa deslanchou”, diz Adler.

Mais do que isso. O que era inicialmente para ser um dia focado apenas nos produtos da indústria de brinquedos acabou se espraiando pelas demais categorias do varejo, do vestuário a eletroeletrônicos, de calçados a celulares. “Não há quem não se beneficie dessa data no comércio”, diz Adler. Afastado dos negócios desde que vendeu a Estrela, em 1993, para o empresário Carlos Tilkian, Adler se dedica ao terceiro setor, participando da diretoria do hospital Albert Einstein e patrocinando creches para crianças carentes. Low profile, diz que não espera o reconhecimento por sua bem sucedida jogada de marketing. A tal estátua, nem pensar. “Minha recompensa é ver uma criança sorrindo por ter ganho um presente no seu dia”, afirma.

Fonte: NETZ, Clayton. O homem que inventou o dia das crianças. O Estado de S. Paulo. São Paulo, p. N2, 11 out. 2010.

23 de Abril, Dia Mundial do Livro

O 23 de abril foi escolhido pela Unesco para celebrar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos do Autor não por acaso. Existe um forte simbolismo em torno dessa data. Foi nesse dia, afinal, que morreram, em 1616, nada mais nada menos do que Miguel de Cervantes e William Shakespeare. E, ainda, o escritor Inca Garcilaso de la Vega. E cada qual em seu canto. Para aumentar mais esse encanto, foi também nessa data que vieram ao mundo autores como Maurice Druon, K.Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

bibli2204