Por dentro das coisas

01_dino_revistqasOs segredos dos animais

A Coleção por dentro das coisas da revista Mundo estranho traz Informações sobre bichos que estão a milhares de quilômetros de distância do seu dia a dia, outros ao seu lado e animais extintos.

Por exemplo:
Quais são os 10 maiores dinossauros brasileiros? Como os peixes dormem? Como os grandes felinos caçam? Como os ursos hibernam:  Gatos sempre caem de pé? Como são feitos os testes de laboratório em animais? Bichos vão para o céu?

 

 

Quantas espécies de dinossauros já foram encontradas? Como era a anatomia de um mamute?
01_dino_caixamensagem 01_dino_elefante

OS SEGREDOS DOS ANIMAIS. São Paulo: Abril, 4. ed., 2017. (Coleção Mundo Estranho: por dentro das coisas).

Spinosaurus

Por Tom Mueller

Ilustração de Davide Bonadonna. Fontes: Nizar Ibrahim. Universidade de Chicago; Cristiano Dal Sasso e Simone Maganuco, Museu de História Natural de Milão

Ilustração de Davide Bonadonna. Fontes: Nizar Ibrahim. Universidade de Chicago; Cristiano Dal Sasso e Simone Maganuco, Museu de História Natural de Milão

Maior que T.rex, o Spinosaurus é o mais poderoso carnívoro que já pisou na Terra.

No início da noite de 3 de março de 2013, o jovem paleontólogo Nizar Ibrahim ao lado de dois colegas desembarcara em Erfoud três dias antes com a intenção de achar Fouilleur, um caçador de fósseis que vendia o que encontrava para comerciantes. Ele tinha descoberto valiosos ossos de dinossauro na jazida de Kem Kem, uma cadeia montanhosa com 240 quilômetros, do período do Cretáceo, de 100 milhões a 94 milhões de anos atrás. Entre as descobertas estavam dois esqueletos parciais de um extraordinário dinossauro até então desconhecido, um gigantesco predador com mandíbulas alongadas, de quase 1 metro, e presas cônicas entrelaçadas. E uma característica única no dorso: uma estrutura de quase 2 metros, parecida com uma vela e sustentada por ossos em espinhas. Stromer batizou o animal de Spinosaurus aegyptiacus.

Fonte: MUELLER, Tom. Grande feio e mau. National Geographic Brasil, São Paulo, v.15, n. 175, p. 32-51, out. 2014.