Memórias de viagem

por Débora Zanelato

Os registros das férias podem ir além da fotografia. Exercitando nossos sentidos, os destinos se transforma em lembranças ainda mais valiosas

A americana Lauren Hom tomou uma decisão radical e decidiu experimentar um novo jeito de registrar sua viagem por 18 países. Criou o projeto No Photos, Please e se comprometeu a não fazer nenhuma selfie. Ela usou desenhos e a caligrafia para memorizar sua passagem por São Paulo, Bali, Kelara, Cusco entro outras cidades. Lauren aprendeu a observar com mais atenção cada lugar por onde passou, além de desenvolver melhor seu traço como ilustradora tipográfica.

Leia o artigo completo na Revista Viver Simples, 184. ed., jun. 2017.-

 

Ilustração de Lauren Hom

Ilustração de Lauren Hom

Ilha Incahuasi, em Uyni, Bolívia, ilustrada por  Thales Molina

Ilha Incahuasi, em Uyuni, Bolívia, ilustrada por
Thales Molina

Fonte: ZANELATO, Débora. Memórias de viagem. Vida Simples, São Paulo, 184. ed., p. 30-35, jun. 2017, Pensar.

Livro de posse

Livro de posse guarda mais de um século de assinaturas dos presidentes da República

Por Geraldo Magela

imagem_materia

Dia primeiro de janeiro de 2015 inaugurará um novo ano e uma nova página no livro de posse presidencial. Ao assiná-lo, a presidente reeleita Dilma Rousseff assumirá o compromisso de governar o país e continuará a linha do tempo que vem sendo traçada desde 26 de fevereiro de 1891, quando Marechal Deodoro da Fonseca foi empossado presidente do país, sendo o primeiro a deixar sua rubrica no livro.

Os documentos são guardados na Coordenação de Arquivo (COARQ), no Serviço de Arquivo Histórico (SEAHIS), em uma sala com temperatura, umidade e luminosidade dentro dos parâmetros recomendados. Organizados em dois volumes, eles testemunham a evolução histórica, demonstrada por elementos que vão desde a perda sucessiva de arcaísmos na língua portuguesa ao estilo de escrita que se assemelha ao gótico.

O verde que colore a capa de veludo do primeiro volume é mais claro que o da bandeira nacional e contrasta com o brasão da república e as letras douradas. Por dentro, o amarelo não intencional das folhas revela a antiguidade do primeiro livro, motivo pelo qual o presidente Café Filho estreia um novo tomo em 1954, agora mais formal. As páginas ganham pautas e são envoltas por capa dura, de verde mais escuro e alheia à pompa do século XIX.

Fonte: MAGELA, Geraldo. Livro de posse guarda mais de um século de assinaturas dos presidentes da República. Senado Federal. Brasília – DF, Notícias, 08 dez. 2014. Disponível em: <http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2014/12/08/livro-de-posse-guarda-mais-de-um-seculo-de-assinaturas-dos-presidentes-da-republica>. Acesso em: 15 dez. 2014.