A poesia de Manuel Bandeira: a crítica de Mário de Andrade e Sérgio Buarque de Holanda.

Usp_mariio_

Mário de Andrade em São Paulo, 1929. Fonte: Revista Estudos Avançados, v. 31, 2017. Cortesia Arquivo do Instituto de Estudos Brasileiros da USP, Fundo Mário de Andrade

por Ricardo Gaiotto de Moraes

A poesia de Manuel Bandeira, um dos mais profícuos poetas brasileiros do século XX, interessou tanto à crítica literária de Mário de Andrade quanto à de Sérgio Buarque de Holanda. O objetivo deste artigo é analisar os critérios que sustentam as críticas de Mário de Andrade e Sérgio Buarque à poesia de Manuel Bandeira, tendo como ponto de partida a afirmação da trajetória artística sincera do poeta. No caso de Mário de Andrade, tal conceito parece retomar as reflexões sobre a técnica da poesia desenvolvidas sistematicamente em “O artista e o artesão”; no caso de Sérgio Buarque, parece figurar como um dos combustíveis para a revolução contra a “cordialidade” brasileira, conforme definida em Raízes do Brasil.

Fonte: MORAES, Ricardo Gaiotto de. A poesia de Manuel Bandeira. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, p. 167-182, maio/ago 2017.